Mostrando postagens com marcador Pisco. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Pisco. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 29 de agosto de 2019

Perú - Machu Picchu - Cusco - Lima

Cusco
A capacidade inata dos incas de construir em harmonia com o meio ambiente é bastante evidente nesta pitoresca província andina. O Vale Sagrado, que eles tinham como uma representação do céu na terra, é rico em natureza e em historia antiga, com muitos templos e fortalezas incas. Nada, porem, é mais espetacular do que Machu Picchu, um Patrimônio da Humanidade.


Vista Panorâmica de Cusco









Puno - Lago Titicaca









Ilha dos Uros





Arte
Quando chegaram ao Peru, no século 16, os espanhóis trouxeram alguns artistas europeus cuja função era produzir obras sacras para adornar o interior de igrejas e mosteiros espalhados por todo o país. Alguns exemplos dessas obras de arte ainda podem  ser apreciados em cidades como Lima, Cusco e Arequipa.
Com o aumento da demanda, os colonizadores começaram a ensinar suas técnicas aos artistas indígenas, o que deu inicio a uma nova representação pictórica da vida peruana, dominada por imagens católicas e da nobreza. No século 17, um grupo de artistas nativos, mais tarde conhecido como Escola de Cusco, começou a mesclar essa iconografia religiosa com motivos indígenas, criando uma nova forma de arte popular. Inicialmente sob a tutela dos espanhóis, esses artistas pintavam cenas piedosas usando técnicas clássicas espanholas e flamengas, e incorporando a flora, a fauna, os costumes e as tradições andinos. A Escola de Cusco acabou dominando a tradição artística peruana pelos 200 anos seguintes.
No início dos século 20, surgiram artistas como Francisco Fierro (1807-1879) e José Sabogal (1888-1956) que contribuíram para um novo movimento indigenista, o qual reconhecia a importância da cultura andina e buscava retratar eventos e costumes típicos do Peru atual. Ainda no século passado, artistas voltando da Europa começaram a combinar temas nacionais com estilos mais internacionais - algo patente, por exemplo, nas obras de Fernando de Szyszlo, que combinavam expressionismo abstrato com motivos e iconografia pré-colombianos, o que impulsionou a arte peruana para o modernismo.
A economia atual do país levou ao florescimento das artes. Vários pintores peruanos vem obtendo reconhecimento internacional, entre eles Gerado Chávez e Jose Carlos Ramos. Outro artista de renome é o escultor Victor Delfin, cuja imensa escultura El Beso (Foto abaixo) é um destaque do Parque do Amor.
Escultura "El Beso"


Machu Picchu
A enevoada cidade perdida dos incas é uma das atrações mais famosas da América do Sul. A cidadela de rocha, a uma altitude de 2.350 metros, fica no colo de uma montanha ladeada por declives rumo ao vale Urubamba abaixo. Machu Picchu escapou de ser saqueada porque os espanhóis nunca a encontraram, mas foi simplesmente abandonada e invadida pela natureza. O refinado trabalho em pedra sobreviveu ao tempo, mas sua função continua incerta. Especula-se que era um local de culto, um centro de astronomia e a haicenda do nono imperador inca. Pachacutec.





Moray.
Os terraços de cultivos de Moray são como um laboratório agrícola no qual os incas experimentavam diferentes variedades de plantas, a fim de melhorar sua produção.

Moray - Sítio Arqueológico


Lima - Capital








Dicas de passeios e cuidados com a altitude.


A altitude é o grande desafio para se completar todos os passeios a que se propõe. Normalmente os turistas contratam agências de viagem para montar um roteiro e poder conhecer, não tudo pois são muitos lugares, mas os principais e mais conhecidos. Geralmente são levados em onibus ou vans e ao chegar no local, completa-se o tour a pé. Aí é que mora o problema. A altitude é um fator que influencia em todos os lugares, que normalmente partem de 2300 m em Machu Picchu e pode se chegar a 5200 metros na Rainbow Mountain. Felizmente as agências de viagem se previnem desse incomodo, oferecendo aos turistas, quando necessitam, respiração através de cilindros de oxigênio, folhas de coca para mascar e essência de ervas para inalar. A folha de coca dá mais disposição e ajuda na respiração, avitando dor de cabeça por conta da altitude. A essência de ervas é um bronco dilatador que ajuda bastante a completar a respiração. Balão de oxigênio eu não precisei.

Dica muito importante : evite comer comidas pesadas (carne vermelha) nos primeiros dias e principalmente à noite. Isso ajuda seu organismo a se adaptar com a altitude.

Comidas e bebidas
Não vou dar detalhes aqui como é cada prato, mas permita-se fazer o pedido e apreciar essa culinária maravilhosa que é a comida peruana.
Em primeiro lugar é o ceviche peruano que tem duas características diferentes. Quando saboreada em Cusco é feito, normalmente com peixe de agua doce - truta - e quando saboreado em Lima é feito essencialmente com peixe de agua salgada. Para o meu paladar eu prefiro o peixe de agua salgada, tem mais sabor.
Para acompanhar praticamente qualquer comida peruana, antes ou durante a apreciação do prato, o Pisco é uma bebida que cai bem. Também aqui notei uma diferença entre os lugares que provei essa deliciosa bebida. Em Lima, de uma maneira geral elas são servidas em maior volume e com maior concentração de Pisco, já no interior são mais fracas, com menor concentração de Pisco.
Não deixe de experimentar o filé de alpacas, o picante de Cuy e o Pollo na brasa.
Para maiores detalhes de cada prato, sugiro clicar aqui . Comidas Peruanas


Os Jardins de Mandor.
Para quem se hospedar em Aguas Calientes, siga a linha do trem, a pe, até o final e você vai descobrir um local que poucos turistas conhecem. Os Jardins de Mandor, fica numa reserva a Floresta Amazônica Peruana e você tem a oportunidade da caminhar uns 2 Km adentro, por trilhas bem conservadas e bem sinalizadas até chegar a Cachoeira de Mandor.







Ollantaitambo














Vista Dome - Trem Panorâmico.

Para chegar a Machu Picchu, partindo de Cusco, uma das opções é fazer a viagem de trem. O mais recomendado é o Vista Dome que trata-se de um trem panoramico que foi reformulado com vidros no teto para que os passageiros pudessem apreciar o pico da mantanhas. O trem percorre por entre os penhascos que, se olharmos somente pela janela lateral, em muitos trechos, não conseguiríamos ver nada, pois os trilhos ficam bem encostados e circulam ao pé das montanhas.

Para maiores informações. Clique aqui Trem Vista Dome